Erotika Fair – Tudo é questão de POV

by: Carol Teixeira -

Uma das atrações da Erotika Fair desse ano foi John Stagliano (Buttman) a lenda do pornô, que criou o POV (point of view), técnica na qual uma única pessoa faz papel de câmera e ator, mostrando o sexo do ponto de vista de quem participa. Falando sobre ele com minha equipe enquanto cobríamos o evento, chegamos à conclusão de que isso é metáfora pra tudo: TUDO é questão de POV. O mundo erótico e tudo que o envolve só é digno de preconceito se olhado por um ponto de vista errado (sim, errado, porque preconceito é a pior forma de burrice).

 

 

Foto: Ferdinando Mendonça/Eduardo Graboski - Mídia São Paulo

Foto: Ferdinando Mendonça/Eduardo Graboski – Mídia São Paulo

 

O que senti em relação à feira me trouxe à mente algumas cenas desconexas, mas que unidas faziam sentido ideologicamente. Lembrei de quando entrevistei a Sasha Grey ano passado e quanto achei inspiradora a naturalidade com que ela falava sobre sexo. Ou a tiazinha que cuidava do banheiro do Cafe Photo (puteiro de luxo aqui em Sp) enquanto fazia tricô (?) que me disse, quando fiz uma matéria lá: “Não tem nada de anormal aqui, isso está na cabeça das pessoas!”. E meu papo que rolou nessa feira com Colette, criadora da X-Art (produtora pornô incrível) e as atrizes e atores. To fuck or not to fuck, essa não é a questão. As questões importantes e dignas de nóias e elaborações intelectuais são outras. Sexo é básico, sexo é bem estar. E essa foi a abordagem da feira, especialmente esse ano. Uma vida sexual saudável reflete em todas as outras áreas da nossa vida. Como disse a antropóloga sexual Betony Vernon, “o tabu maior não é só o sexo, mas o prazer”. Sentir prazer  e se preocupar abertamente com o próprio prazer precisa deixar de ser tabu. Por isso eu ficava tão feliz de ver tantos casais (aliás fiquei sabendo que a maior parte do público na feira era composta por casais, achei uma info interessantíssima) e pessoas não diretamente ligadas à cena erótica lá na feira, comprando vibradores e outros produtos, conferindo as novidades, interagindo com a galera do pornô . Vamos legalizar o sexo, gente. Sexo tem que sair do gueto. Acho que a verdadeira revolução sexual vai rolar quando as pessoas conseguirem entender que sexualidade não é algo digno de vergonha ou constrangimento, mas parte integrante e essencial do nosso bem estar, como a vida profissional ou amorosa – não é assunto menor. Minha posição em relação a isso é clara e eu tento expressar em cada post desse blog, em cada coluna minha na Vip. Quero que as pessoas trepem mais e melhor e sem culpa. Yes, we can. E na feira adorei ver que a abordagem foi a mesma. Espero que esse namoro Obscena Senhorita C & Erotika Fair tenha vindo pra ficar.

 

Não vou falar muito mais porque vocês terão aqui no blog 6 programinhas feitos para a cobertura oficial da feira. Erotika Fair e Obscena Senhorita C se juntaram para fazer a Erotika TV, com entrevistas e curiosidades sobre o evento. Entrevistei o Mr. Catra, Nasi, vários integrantes da X-Art (amei todos!) e Shiroma, o mega interessante idealizador da Erotika Fair (que já está na mão dele desde a primeira edição, há 17 anos). Falei com a galera do Centro Metamorfose, com o pessoal criativo da Trovare, com casais que participaram da experiência tântrica e com visitantes da feira. Também vou mostrar o mercadinho sexual que o pessoal da Loja do Prazer (maior sex shop do Brasil) fez lá e as mil novidades, a cápsula da Durex (uma das coisas mais legais, eu não queria sair lá de dentro) e os shows incríveis (hot hot hot!) que rolaram no palco só com gente linda. E vou mostrar os sex toys da Ovo, marca que tem vibradores tão lindo que dá vontade de botar na sala com objeto de decoração (me apaixonei!). Tem muito mais, mas não vou contar pra vocês verem depois os vídeos.

 

Eu e a querida Kaylee, atriz pornô da X-Art

Eu e a querida Kaylee, atriz pornô da X-Art

 

 

Mas assim, não esqueçam do que falei sobre POV. Se tudo é questão de ponto de vista, por que não ver as coisas pelo ângulo mais divertido?