‘Nenhuma pressa de acabar’ – playlist do Mario Bortolotto

by: Carol Teixeira -

13260210_10154179177342905_6448911106367596191_n

Mario Bortolotto é esse dramaturgo foda que escreveu e dirigiu mais de 50 peças, atuou em tantas outras, ganhou alguns prêmios e teve obras adaptadas pro cinema (a última foi A Frente Fria que a Chuva Traz, que está em cartaz nos cinemas com Bruna Linzmeyer, Chay Suede e o próprio Mario no elenco). Também é vocalista da banda Saco de Ratos. Rock, of course. Além de tudo é dono de um dos meus lugares preferidos em São Paulo, o teatro e bar Cemitério de Automóveis (que ele comanda junto com o sócio Carcarah). Quem vai lá entende porque até o Angeli já chegou a colocar em seus quadrinhos um personagem falando ‘quero morar no bar do Mario’. Quem não quer? O Mario é agregador, tem o dom de promover amizades, não é difícil entrar no lugar e se sentir em casa. Quando fecha aquela porta, lá pela meia noite, ficam só os amigos e o ambiente se transforma em algo próximo de um filme do Ettore Scola com personagens que rendem, cada um, um conto. Prato cheio para escritores que gostam de observar. Quando vê, você – que entrou só pra tomar um drink – nunca mais saiu e se tornou mais um elemento na caótica sinfonia regida por Mario Bortolotto. Tenta ir um dia pra ver se não estou certa.

Mas cuidado, hein: tenho minha cadeira fixa lá, não ouse sentar nela.

Vamos ao que interessa: ele me contou quais são suas top 5 músicas pra sexo. Confere aí.

 

1. Cruisin – Smokey Robinson

 

Essa é uma música que sempre gostei desde garoto. Marcou as minhas proto-experiencias sexuais com as primeiras garotas, aquelas primeiras desatentas que caíram na besteira de achar que eu valia a pena.

 

2. Trapped by a thing called love – Denise LaSalle

 

Esse é um soulzão que descobri mais recentemente e que acho perfeito. Mas é tão recente que eu nem experimentei ainda.

 

3. Part of me – Ana Popovic

 

Fui ver um show da Ana Popovic e ela é extremamente sensual. Já tinha os discos dela e sempre ficava impressionado como ela me deixava surpreendentemente malicioso. Quando vi ela cantando ao vivo, de mini-saia e empunhando a guitarra, saquei tudo. Mulheres guitarristas sempre me deixaram em estado de alerta. E isso já vem desde a Suzi 4.

 

4. Have you ever loved a woman – Freddie King

 

Freddie King é o maior de todos os “kings”, até mesmo maior que o grande “BB”. Essa música tem uma gravação que ele fica provocando as mulheres na plateia. Elas quase vão ao orgasmo com o velho Freddie. Esse sabia das coisas.

5. Breaking my heart again – Henrik Freishlader Band

 

Essa é uma música suave, ideal se você tá a fim de fazer “pianinho” naquelas noites de chuva que não há nenhuma pressa de acabar, aliás, sequer há pressa de começar.


Comments