Um tarado por discos – Playlist do Rafa Rocha

by: Carol Teixeira -

Rafa Rocha

 

O Rafa Rocha, além de meu amigo querido, é diretor de arte da Revista Noize e integrante da banda Wannabe Jalva, que acabou de lançar um clipe #causación:

 

 

…e logo mais estará em turnê por NYC. Também acabou de ser indicado ao Grammy latino pelo projeto gráfico da banda Apanhador Só. Ufa! E, como vocês podem ver na foto, é gato também haha.

 

E aí que eu não poderia deixar de pedir uma playlist sexy pra ele, né? Então vamos lá:

 

“Eu sempre acreditei muito mais em DISCOS ao invés de músicas na hora do sexo. Todo o ritual, o mood do sexo mesmo, vai total de encontro com o que tá rolando no som. Como bom “tarado” por discos, sempre é maravilhoso colocar um vinil para rodar antes da história tomar forma. O problema é virar o lado… haha. Então selecionei algumas músicas que para mim representam os discos que elas se inserem, e por que não os próprios artistas que as interpretam.”

 

Red Hot Chili Peppers – Power of Equality

 

 

A música que abre o Blood Sugar Sex Magik, que eu acredito ser o disco que eu mais escutei na vida para transar. Para mim é um disco perfeito para o momento, tem os moods ideiais, começa mais pegado, da umas pausas, volta com tudo… É o funk, o rock, o groove, o peso, a leveza, tudo ao mesmo tempo agora.

 

Curtis Mayfield – Get Down

 

Os negão sabem tudo. Esse é o som de abertura do Roots, álbum pedrada do Curtis Mayfield dos anos 70. É o groove sempre sexy do funk, sempre combina muito bem, tem todo o movimento necessário, para mim encaixa perfeitamente.

 

Jimi Hendrix – Bold As Love

 

É suave, é intenso ao mesmo tempo. Quando ele começa a solar, a parada perde o freio, e é assim que “a coisa” tem que ser. Deixa na mão do maior de todos que dá tudo certo. Todo esse disco (Axis) é incrível para o momento, cheio de cores e boas vibrações. Como a própria letra diz: “And all these emotions of mine, keep holfding me from giving my life to a rainbow like you”. Coisa linda de deus…

 

Jorge Ben – O Homem da Gravata Florida

 

Esse disco, o Tábua de Esmeraldas, é um dos últimos que constantemente rodam na hora do vamovê. Ele tem um groove animal e um toque Brasil que só a maestria de Jorge Ben conseguem exemplificar em forma de música. Escolho este som, dentro de todos do disco, pois ele tem um balanço especial, típido de jorge. Recomendo… e muito.

 

Black Sabbath – Wheels of Confusion

 

Quando eu comecei a namorar a Juli (Juli Baldi, namorada dele, uma fofa e ótima dj) a gente só escutava Sabbath para fazer sexo! hahaha Temos (entre os meus e os dela) uns 10 discos deles, e esse sempre foi o meu preferido. Ele abre com essa maldade, meio lenta e meio groove que é animal, a partir do meio final da música ela engata de vez e não tem mais volta. Acenda uma vela, apague a luz, coloque o Vol.4 pra rodar… uma bela experiência.

 


Comments